Além das janelas

“Além das Jan[ELAS]” de Elza Cohen

A mostra aconteceu em dois formatos: uma intervenção urbana no estilo lambe-lambe com os retratos impressos e colados em espaços públicos, na região central da cidade de Montes Claros e foi lançada dia 8 de março integrando as comemorações do mês da mulher e também homengeando a luta e a coragem das mulheres no enfrentamento á pandemia.. Já o segundo formato é uma exposição virtual com os retratos e vídeos nas redes sociais. As imagens que trazem a diversidade feminina, em diferentes idades e ocupações, são resultado de uma investigação profunda no cotidiano dessas mulheres e de como a crise sanitária causada pela covid-19 afetou suas rotinas, pois as mulheres, de modo geral, são múltiplas em tarefas no trabalho e em casa. Com uma escolha estética voltada para o preto e branco – argumento de uma seriedade, apresenta as mulheres segurando alguns objetos coloridos que, de algum modo, estiveram presentes e se tornaram referências no cotidiano durante o enfrentamento da crise. “Os objetos estão posicionados na frente dos rostos como símbolo das máscaras que são usadas como proteção contra o vírus, uma maneira de incentivar o uso da mesma pela população. Lembrando que o uso das máscaras também estimulou mais atenção ao olhar, olhos nos olhos das pessoas. O colorido dos objetos sobre o preto e branco da fotografia dão um tom intimista e otimista ao conjunto da obra que pretende ser uma memória visual coletiva a partir da perspectiva feminina. 

Carine Guedes
Karen Nascimento
Tainá Bulhões
Ellen Carine
Amora
Chiara
Juscelina
Terezinha
Érika
Amanda
Gisléia
Maria Eraci
Olivia
Maria Angélica

“Além das jan[ELAS]” – Projeto contemplado pelo edital emergencial de cultura Lei Aldir Blanc/MG que apresenta retratos e depoimentos em vídeos de 20 mulheres do norte de Minas Gerais, para dar voz e visibilidade às suas experiências na pandemia. A inspiração para o título veio da ideia que as janelas durante o isolamento na pandemia,  sobretudo as janelas virtuais e as subjetivas nos projetaram para novas perspectivas de vida e de mundo”. A mostra aconteceu em dois formatos: uma intervenção urbana no estilo lambe-lambe com os retratos impressos e colados em espaços públicos, na região central da cidade de Montes Claros e foi lançada dia 8 de março integrando as comemorações do mês da mulher e também homengeando a luta e a coragem das mulheres no enfrentamento á pandemia.. Já o segundo formato é uma exposição virtual com os retratos e vídeos nas redes sociais. As imagens que trazem a diversidade feminina, em diferentes idades e ocupações, são resultado de uma investigação profunda no cotidiano dessas mulheres e de como a crise sanitária causada pela covid-19 afetou suas rotinas, pois as mulheres, de modo geral, são múltiplas em tarefas no trabalho e em casa. Com uma escolha estética voltada para o preto e branco – argumento de uma seriedade, apresenta as mulheres segurando alguns objetos coloridos que, de algum modo, estiveram presentes e se tornaram referências no cotidiano durante o enfrentamento da crise. “Os objetos estão posicionados na frente dos rostos como símbolo das máscaras que são usadas como proteção contra o vírus, uma maneira de incentivar o uso da mesma pela população. Lembrando que o uso das máscaras também estimulou mais atenção ao olhar, olhos nos olhos das pessoas. O colorido dos objetos sobre o preto e branco da fotografia dão um tom intimista e otimista ao conjunto da obra que pretende ser uma memória visual coletiva a partir da perspectiva feminina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll Up